Pesquisar este blog

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Um sonho

Hoje tive um sonho. Como naqueles filmes do Buñel vou contar pra vocês. O sonho se passava numa sala de aula enooooorme e lotada. Eu e um grupo de pessoas tínhamos que apresentar uma peça de teatro. Só que durante a apresentação as pessoas ficavam entediadas e não paravam de conversar. Daí eu ficava puto e tentava manter a ordem (a professora não fazia nada). Numa dessas tentativas eu tentei humilhar um garoto bem mais velho lá do fundo: como ele não calava a boca pedi para que toda a sala virasse para trás e desse atenção a ele (para ele ficar tímido e calar-se). Só que para minha surpresa ele começa a cantar um samba e mesmo eu tentando ridicularizá-lo dizendo o quanto era ruim toda a sala aplaudiu-o! Fiquei puto. Do nada surgia um megafone e eu começava a xingar todas as pessoas da sala. Eu dizia que eles eram idiotas, imbecis e que aplaudiam qualquer bosta e por isso que o país não ia para frente. Que eles eram alienados aplaudiam tudo o que viam na TV. Que eles eram as mesmas pessoas que haviam enchido os navios negreiros e ainda eram os mesmos e continuariam sendo os mesmos sempre, sempre... Que eles não estavam entendendo nada. E eu gritava para a professora “Me dê zero! Eu quero ganhar zero! Não quero ter nota boa apresentando algo pra esses boçais!”. E citava uma série de autores e depois jogava o megafone longe e saía irritadíssimo da sala de aula. E daí vem a surpresa mais engraçada do sonho: a professora diz que “adorou minha performance”, que minha peça foi a melhor e a mais surpreendente e me dá 10. Achei ótimo!

Um comentário:

Diego! disse...

Já que a comunicação acha que ela é o centro do mundo...nada mais natural que culpar e dar credito a ela por tudo!rsrs
Sobre o sonho...Bem a sua cara!
hauhauhau

abração